Ínicio / Notícias / Plano de Recuperação e Resiliência vai compleme...
Notícias
23 Fevereiro 2021

Plano de Recuperação e Resiliência vai complementar outros fundos no ensino superior

O Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, afirmou que o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) vai ser «um adicional» aos fundos nacionais, estruturais e comunitários.

 

Durante a participação no webinar organizado pelo Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP) para debater o Plano de Recuperação e Resiliência, o Ministro destacou que este plano não pode substituir a ambição de duplicar a participação portuguesa no programa Horizonte Europa

 

«Os instrumentos incluídos no Plano de Recuperação e Resiliência têm de ser adicionais, complementares e não podem ser substituir outros instrumentos. O planeamento em curso tem a ver com este princípio e não com o de substituição dos instrumentos que estão consagrados no ensino superior», acrescentou.

 

O PRR tem três metas fulcrais: o aumento da participação dos jovens no ensino superior, a graduação da população e o aumento da investigação e desenvolvimento. «Focarmos nas metas da formação de jovens, da formação de adultos e de graduação da população, e de garantirmos a convergência europeia de podermos chegar a 2030 com 3% do PIB investido em I&D, implica sensivelmente continuar a aumentar o investimento público de forma a duplicarmos até 2030 a despesa pública e multiplicarmos por três vezes a despesa privada», disse.

 

Manuel Heitor referiu também ainda que com o pacote de cerca de 272 milhões de euros para o programa impulso jovem STEAM e impulso adulto, integrados no plano, se espera uma reflexão estratégica por parte das universidades e politécnicos.

 

«Espera-se um esforço grande de reflexão estratégica dentro de todas as universidades e politécnicos para concentrar os seus planos, com financiamento que pode ser para infraestruturas e equipamentos, mas também para a contratação de docentes ou estímulo à participação jovem», acrescentou.

 

Fonte: Portal do Governo